Contacto
 
Buscar: Artículos
@habitat_intl
@hicpresident
 

Brasil. Intervenção militar no Rio de Janeiro
aprofunda o golpe no país

Brasil , Febrero 2018


Publicado originalmente em unmp.org.mx

Nesta sexta-feira (16/2), o governo golpista de Michel Temer assinou um decreto de intervenção militar na segurança pública no estado do Rio de Janeiro. A medida confere poderes de interventor no estado ao general do Exército Walter Souza Braga Netto, do Comando Militar do Leste, que assume até 31 de dezembro de 2018 o comando da Secretaria de Segurança, das Polícias Civil e Militar, do Corpo de Bombeiros e do sistema carcerário do RJ. A intervenção já está em vigor, mas deve ser aprovada nos próximos dez dias pelo Congresso Nacional. “É mais um passo no Golpe de 2016, e pode tornar o Rio de Janeiro um laboratório para um golpe militar em todo país”, afirma Cláudio da Silva Pereira, da União Por Moradia Popular do Estado do Rio de Janeiro e da coordenação da União Nacional por Moradia Popular (UNMP).

Após um Carnaval em que o povo brasileiro mostrou nas ruas seu descontentamento com as medidas do governo golpista, que penalizam os mais pobres e agravam a crise social do país, a medida mostra mais uma face do golpe: o recrudescimento da violência estatal contra a população. “As ações militares nas favelas e comunidades do Rio causam mortes e graves violações de direitos humanos. Essa informação é sempre bloqueada pela imprensa, que incentiva a população a apoiar uma intervenção desse tipo. No entanto, só apoia quem não mora em áreas atingidas, como Rocinha, Cidade de Deus, Maré, e tantas comunidades atingidas pela violência do Estado”. No entender de Cláudio Pereira, não há nenhuma perspectiva de melhoria da segurança do RJ pela intervenção militar. “É mais um atentado à democracia. Onde os militares atuam, até crianças a caminho das escolas são revistadas, submetidas a situações humilhantes”.

É importante enfatizar que a crise na segurança pública expressa uma grave crise política, econômica e social no país, que só se agrava desde o golpe de 2016. O Rio de Janeiro já sofre com impactos diretos de medidas econômicas do governo golpista de austeridade fiscal, cortes orçamentários e completa paralisação do Programa Minha Casa Minha Vida Entidades. “Estamos vivendo situação muito complicada na moradia – com paralisação da política de habitação popular – na saúde – com hospitais e unidades básicas fechando – e na educação, também afetada por fechamento de equipamentos. Além disso, a economia do estado sofre com a privatização da Petrobras. A empresa deixou de comprar e realizar obras no RJ, e estaleiros que geravam milhares de empregos fecharam. Isso impacta toda economia”, lembra Cláudio. Com o fim da lei do Pré-sal e venda dos poços de petróleo e de partes da empresa para transnacionais, a economia fluminense entrou em profunda crise. “Como consequência, muitas cidades estão vivenciando uma situação de violência enorme. Isso é decorrência da política de venda da Petrobrás, da entrega do petróleo brasileiro e da nossa soberania”.

Ressalta-se ainda que as políticas de recrudescimento do uso da força e de intervenção militar não geraram resultados positivos nos índices de segurança pública. Um exemplo disso foi a política de Unidades de Polícia Pacificadoras (UPPs). “As comunidades não foram incorporadas à cidade, não receberam equipamentos e serviços públicos, e por isso município e estado falharam na política das UPPs”, lembra Cláudio. Com a nova intervenção militar, as comunidades estão sendo criminalizadas no seu direito de ir-e-vir e a povo brasileiro como um todo assiste a um processo profundo de desmonte do Estado Democrático de Direito.









Loading the player...
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
9.








<< < Mayo/2018 > >>
Dom Lun Mar Mie Jue Vie Sab
 
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
 


Brasil . Livro Produção Social da Moradia
Nos últimos dez anos, o Brasil experimentou uma significativa expansão de formas assoc...
Brasil. Lutas pela Reforma Urbana são tema de oficina autogestionada no FST
Fórum de Reforma Urbana realiza oficina no Fórum Social Temático...
Brasil. Fórum Nacional de Reforma Urbana se posiciona contra a reintegração de posse da Vila Soma
NOTA PÚBLICA...
Brasil. Vitória das famílias! Reintegração suspensa, mobilização segue
As famílias da Ocupação Soma comemoram o resultado de sua mobilizaç&atil...
DECLARAÇÃO SOBRE AS MENSAGENS FUNDAMENTAIS PARA A HABITAT III NO DIA MUNDIAL HABITAT 2015
From the Global Platform for the Right to the City...
Brasil. Os Macacos (ou Lêmures) estão por toda a cidade
Artista questionador e provocador. Subtu é um dos grafiteiros mais ativos de São Paulo...
DECLARAÇÃO FINAL – XVIII CÚPULA SOCIAL DO MERCOSUL BRASÍLIA 14, 15 e 16 DE JULHO DE 2015
Expressamos neste documento os consensos alcançados pelas várias organizaç&otil...
Brasil. Cooperativa habitacional do Uruguai é tema de mostra em SP
A PARTIR DE 3 DE JUNHO, O PÚBLICO PODERÁ CONFERIR NO MUSEU DA CASA BRASILEIRA UMA EXPO...
Brasil. JORNADA NACIONAL DE LUTA PELO DIREITO Á MORADIA, POR REFORMA URBANA, PELA FUNCAO SOCIAL DA CIDADE E DA PROPRIEDADE.
...
Brasil. BOLETIM DO FÓRUM NACIONAL DE REFORMA URBANA
BOLETIM DO FÓRUM NACIONAL DE REFORMA URBANA...
Brasil. Famílias que serão removidas por causa de Belo Monte recorrem à defensoria
Mais de 500 famílias de Altamira (PA) que terão de ser deslocadas por causa da constru...
Brasil. Benedito Barbosa recebe Medalha Nacional de Acesso à Justiça, nesta quinta-feira
A cerimônia acontece no dia 18 de dezembro, às 10h, em Brasília, no Salão...
3ª Conferência das Nações Unidas sobre Moradia e Desenvolvimento Urbano Sustentável
Car@a, Nosso país, assim como as demais nações que fazem parte da ONU tem a tar...
“A Política de Moradia é Basicamente de Favorecer o Mercado Privado”: Entrevista com Lorena Zárate, da HIC
Habitat International Coalition (HIC, ou Coalizão Internacional Habitat), é uma a...
Brasil. Juizas/es que recebem auxílio moradia, vão condenar multidões pobres a ficarem sem-teto e sem-terra?
No dia 15 de setembro passado, o Ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, concedeu “tut...

HIC-AL
Desde 2001, seguindo a proposta dos membros regionais e por decisão do conselho da Coalizão Internacional do Habitat (HIC), trabalha na Cidade do México o Escritório  de Coordenação Regional para América Latina da HIC (HIC-AL).
Ler mais




 
 



El contenido de esta página puede ser reproducido, siempre y cuando se cite la fuente y se envíe copia a HIC-AL (info@hic-al.org - Huatusco No. 39 - Col. Roma Sur - 06760 México D.F.), detallando brevemente la utilización que se le ha dado. Del mismo modo, nosotros citamos las fuentes que proporcionan gran parte de los materiales aquí incluidos. La información es de todos/as y para todos/as. Nos hacemos más fuertes si sabemos de dónde viene y adónde va."

Aviso legal / Legal disclaimer